SOS MATANÇA no banco millennium Angola do forno crematório nazi. Correr e fechar portas e janelas porque vem aí terríveis toneladas de fumo do gerador da morte horrível da engenharia criminosa dos tugas que tudo fazem para nos exterminarem para que consigam empregos. As crianças bebés morrem cancerosas dos pulmões porque o ordens superiores o ordenou. Em Luanda sem matar não se pode facturar. Os tugas têm que nos matar em todos os apartamentos nos gasear. É na rua rei Katyavala em frente à Angop

quinta-feira, 18 de Setembro de 2014

Cidadãos mobilizam-se para nova alternativa política e económica para Angola





Proponentes querem organizar forum com participação de todos na busca de soluções para os problemas do país.

Manuel José
VOA

Um grupo de cidadãos da sociedade civil angolana está a promover a recolha de subscriçõe, para levar a cabo uma ampla concertação nacional para tirar o país daquilo que consideram o caos em que se  encontra mergulhado.
São angolanos oriundos de vários estratos sociais, como académicos, professores, estudantes universitários, entre outros profissionais sem qualquer vinculo partidário que pretendem uma solução diferente das tradicionais, para inverter o quadro social actual do país, pois consideram que o actual sistema não dá resposta aos problemas e necessidades.
A iniciativa aponta para a realização de um Fórum de Concertação Nacional, sem exclusão .
"Nenhuma das soluções até agora deu resultado, nem mesmo as eleições têm sido solução”, disse Adão Ramos, um dos organizadores,  acrescentando que “para que os angolanos se revejam nos símbolos nacionais actuais, é preciso uma solução que não passe por aquelas que já vêm sendo tradicionais”
Para Adão Ramos uma ampla concertação nacional não pode envolver apenas uma elite de angolanos, mas sim a maior parte dos que pretendem o bem-estar das pessoas".
"O manifesto está a circular na internet e através de suporte físico em papel para recolher subscrições, mas ainda não contém o formato daquilo que poderá ser essa concertação nacional apesar de haver já uma ideia bem sólida", disse.
O grupo de cidadãos fez um diagnóstico da sociedade angolana e chegou  à conclusão que em Angola se assiste à “escalada progressiva de violência entre cidadãos e autoridades, discriminação social baseada na filiação partidária, espancamento e extorsão de zungueiras, moto-taxistas e outros agentes da economia informal nas ruas, interdição de manifestações pacificas e maus-tratos aos manifestantes, escalada de corrupção, nepotismo, clientelismo, entre outros males”.
“O quadro 'e triste", acrescentou Adão Ramos, para quem, na visão deste grupo de cidadãos a culpa é de todos.
Imagem: Adão Ramos

quarta-feira, 17 de Setembro de 2014

Angola. Jornalista ameaçado de prisão no Uíge





Repórter pretendia cobrir a visita de governador, mas foi impedido de entrar no local.
Um jornalista de uma publicação privada foi ameaçado de prisão depois de tentar entrar num local onde o governador da província do Uíge Paulo Pombolo efectuava uma visita de constatação de algumas obras em construção na província.

VOA

Elementos da segurança do governador impediram a entrada do jornalista Escrivão José que disse ser seu dever tentar fazer a cobertura do acontecimento.
“Quando você bate uma porta e não te abrem não entre”, disse um elemento da segurança que acrescentou que ter um cartão de jornalista não dá acesso ilimitado a todos os locais.
Já o director do gabinete de informação do governador que apenas se identificava  com o nome de Nilson disse que o jornalista deveria fazer uma carta a delinear o que pretendia perguntar ao governador.  “Eu vou fazer chegar e depois aguardas se pode ser ou não”, explicou .

Mais um aniversário que consumiu apenas 35 milhões de USD






Lisboa -  As festividades  do  aniversario natalício do Presidente da República, José Eduardo dos Santos terão custado aos cofres do Estado angolano  mais  de 35 milhões de dólares, segundo cálculos de um “assessement” sobre o tema.

Fonte: Club-k.net 

Ministério da Cultura gastou  6 milhões de dólares
Os cálculos foram baseados pelo volume de actividades culturais que se desdobraram por todo o país com vista a celebrar a data natalícia. 
Para assinalar a data, as autoridades, na pessoa do Ministério da Cultura fizeram também coincidir com o Fenacult, na qual foram convidadas personalidades como  a ex-representante especial do SG da ONU em Angola, Magareth Anstee, o ex-Presidente da Nigéria, Olesegun Obasanjo e o ex-Presidente da Namíbia, Sam Nujoma. 
Os mesmos foram convidados para falar sobre a dimensão cultural do Presidente José Eduardo dos Santos.  Para esta investida, o Estado angolano segundo anuncio da Ministra da Cultura em Maio passado, disponibilizou   USD 6 milhões e  558.220 mil dólares.
“O valor aprovado e cedido é insuficiente e não satisfaz todas as necessidades. Todas as direcções provinciais aguardam o nosso apoio, para garantirem a efectivação dos programas locais”, referiu a ministra, na altura acrescentando que este é um acontecimento de afirmação da defesa e promoção dos valores culturais e da dignidade das manifestações artísticas.
 Gastos extras
Em Julho passado, a Ministra  da Cultura,  através do Despacho n.º 1436/14 subdelegou competência a  Secretária Geral deste Ministério, Luzia Júlio João para assinar o Contrato de prestação de serviços de consultoria, gestão de conteúdos e produção de espetáculos de abertura e encerramento do Festival Nacional de Cultura — FENACULT 2014, no valor equivalente em Kwanzas a USD 1.200.000,00.
Através de um outro Despacho n.º 1439/14,  a governante mandou assinar o Contrato de Prestação de Serviços, celebrado entre este Ministério e Alexey Shakito, de nacionalidade portuguesa, no âmbito da preparação do mesmo evento 
Realizações desportivas
Foi realizado o  torneio internacional  da modalidade hóquei em patins  “troféu Zédu, que visou  saudar o 72ª aniversário do Presidente da República, José Eduardo dos Santos, assinalado no dia 28 de Agosto.  A competição  custou 1 milhão e 500 mil dólares norte-americanos. Em  conferência de imprensa realizada em Julho passado, o  vice-presidente da Federação Angolana de Hóquei em Patins (FAP), Pedro Azevedo, assegurou que o valor é proveniente do Orçamento Geral do Estado (OGE) e que iria  servir às despesas da prova.
Realizou-se a primeira edição do torneio de basquetebol sénior masculino "arquitecto da paz", anunciado como alusivo ao  72º aniversário do Presidente da República, José Eduardo dos Santos.  Estima-se que o orçamento desta competição seja equiparado ao da congénere  de Hóquei em Patins. 
Actividades a nível dos ministérios e nos  quartéis dos  militares
No dia  15 de Agosto,  o Ministério da Defesa realizou as chamadas  jornadas alusivas ao aniversário do Arquitecto da Paz que  teve lugar no Quartel-General do Estado-Maior do Exército, prosseguida por uma palestra com o tema “Empenho do Presidente e Comandante-em-Chefe das Forças Armadas Angolanas na Pacificação dos Países dos Grandes Lagos”. 
Estima-se que somente para a actividade deste dia, o Ministério tenha gasto mais de 600 mil dólares, a contar  com as despesas de logística (refeição oferecida aos presentes). Para além deste acto, foram realizadas em quase todos os quartéis militares actividades de festejo pelo aniversario do comandante em chefe.
O Ministério dos Transportes por exemplo encomendou cartazes auto-colante com dizeres de felicitação ao PR, que mandou colocar nos carris dos comboios.
Actividades promovidas pelas Embaixadas
Por esta altura do ano, as embaixadas angolanas juntam-se também ao acto celebração da data em questão com actividades culturais convidando músicos em Luanda que se deslocam ao exterior propositadamente.
A Embaixada de Angola na África do Sul anunciou a realização de uma palestra “dirigida à comunidade angolana e consta das actividades alusivas ao 72º aniversário do Chefe de Estado”.
No dia 28 de Agosto, a embaixada de Angola em Portugal organizou uma actividade (festa para a comunidade) com fundos do Estado que decorreu no auditório 2 da fundação Calouste Gulbenkian, em Lisboa. O músico Bonga e a cantora França foram um dos convidados.
Atividades nas províncias
Na província do Huambo, o executivo de Kundi Paihama  criou uma comissão organizadora das actividades alusivas a data que teve como coordenador-adjunto o  director da Juventude e Desportos na província do Huambo, Carlos Graça.  O Governo do Huambo exortou a população a participar massivamente nas actividade alusivas ao 72º aniversário do PR, em gesto de reconhecimento pelo seu empenho na manutenção da paz, reconciliação nacional e resolução os problemas sociais do cidadãos.
Na província do Bié, o governo realizou uma  jornada alusiva ao 72º aniversário do PR,  orientada pelo vice-governador para área política e social, Carlos Ulombe da Silva. A mesma foi preenchida com diversas actividades política, social, cultural e desportiva, com destaque para palestras sobre "A vida e obra do Estadista Angolano, papel do Presidente da República no desenvolvimento e expansão do ensino universitário no país".
O Governo de Benguela através da administração do  município da Ganda e Cubal realizou   jornadas em alusão a efeméride  bem como actividades desportivas e culturais.
Na província do Kuando Kubango, o governo provincial realizou também uma jornada alusiva a data na qual foram convidados oradores provenientes  de Luanda.  
Cerimónia oficial na cidade alta
Foi também realizado, no dia 28 de Agosto no  Salão Nobre do Palácio Presidencial  um acto em sua homenagem, onde o vice-presidente da República, Manuel Domingos Vicente, no seu discurso, destacou os feitos do estadista angolano. Esta iniciativa foi seguida por uma festa de arromba realizada no parque heróis de  chaves que pode ter custado mais  de um milhão de dólares (alimentação  para os mais de 500 convidados,  bebidas, cache para os músicos e gastos da logisitica de movimentação dos soldados da UGP que saíram as ruas).
Considerações
A data de aniversario de um Presidente, conforme considerações  de críticos do regime, deveria ser um acto privado com a  sua família ou com  o  seu partido ou da   associação/fundação  a que pertence.
Exceptuando aos países de sistema ditatorial, Angola deverá ser um dos poucos onde a data de aniversario do Presidente é festejada com fundos do erário público.
Em países, em cujo a transparência da gestão publica, se faz valer,  a Procuradoria da República seria encorajada a actuar e o Presidente da República  obrigado  a devolver aos cofres de Estado,  os fundos que os ministérios e governos provinciais gastaram para festejar o seu aniversario.
JES denota não ser estranho a estes gastos, razão pela qual os seus críticos acusam-lhe de  ser  o promotor e de encorajar estas iniciativas de transformação da sua data de aniversario em actividade de Estado. Por ocasião da celebração da data no parque heróis  de chaves, o estadista  proferiu um discurso em que não só destacou como agradeceu todas iniciativas culturais e desportivas que se realizaram  por todo país, em torno da data do seu aniversario.




Portugal: Angolana morre ao atirar-se com a filha para a linha de comboio





Lisboa - Uma cidadã angolana, identificada por Juliana Constantino, morreu, nesta quinta-feira, 11, na linha férrea de Sete Rios (Lisboa), depois de saltar com a filha para a linha de comboio.

Angop

Segundo reporta a imprensa portuguesa, Juliana Constantino, de 24 anos, natural de Benguela, chegou com a filha Bruna, de quatro, à estação de comboios de Sete Rios, em Lisboa, com o intuito de apanhar o comboio com destino à Margem Sul e a Sesimbra onde residia.

Depois de subir à plataforma, a cidadã angolana pegou na filha ao colo e saltou para a via-férrea, tendo sido trucidada pelo comboio. Porém, a filha salvou-se, estando internada no Hospital de Santa Maria, na capital lusa, com um braço partido e livre de perigo.

A imprensa reporta ainda que o maquinista do comboio, que “ainda tentou travar, mas sem evitar o embate, está em estado de choque”.

O cadáver de Juliana ficou debaixo do comboio, mas a pequena Bruna conseguiu aninhar-se no espaço entre a composição e a plataforma, adianta.

O gabinete de comunicação da Refer, empresa gestora da referida linha-férrea, lamenta o ocorrido, mas adianta “não haver nada a investigar”.

“O maquinista do comboio viu a mulher com a menor a saltar para a linha de comboio. Além disso, há câmaras de vídeo-vigilância dispostas por toda a estação, que terão captado o momento do salto”, avançou.

Entretanto, a Angop contactou uma fonte do Consulado Geral de Angola em Portugal, que disse esperar “ansiosamente” pelos resultados da autopsia do Instituto de Medicina Legal português, para onde Juliana Constantino foi transportada.  


domingo, 14 de Setembro de 2014

Uma das religiosas foi decapitada, uma outra foi morta torturada com agressões e golpes de pedradas no rosto.







SEMPRE MAIS VIOLÊNCIA... EM ÁFRICA.

Neste último domingo, três anciãs religiosas italianas que trabalhavam em Bujumbura, no Burundi, foram brutalmente assassinadas (duas delas contemporaneamente e uma terceira mais tarde, na própria casa onde residiam).
De acordo com as informações, uma das religiosas foi decapitada, uma outra foi morta torturada com agressões e golpes de pedradas no rosto.
As irmãs Lúcia, Olga e Bernardete (cujas idades oscilavam dos 75 aos 80 anos) trabalhavam já faz muito tempo no Burundi, ocupando-se da promoção e educação ao emprego, sobretudo das jovens mulheres locais.
Que o sangue dessas missionárias possa servir como semente para a paz e a reconciliação daquela Nação e do inteiro continente africano.